segunda-feira, 23 de junho de 2008

MARCAS PELO CAMINHO


Eu e a Mariana fomos levar o Camaro para medição no dino....no caminho fizemos um teste de freios e eles me parecem em bom estado, pois quando uma maluca ao volante de uma Palio weekend entrou na contramão...sentamos nos alicates e a barca arrastou por uns 10 metros, lixamos todos os pneus....a Mariana estava com holter (aquele aparelho para o coração) deve ter dado um piripaque danado no resultado do exame hehehehehe. A fritada de pneus eu vou fotografar e postar por aqui kkkkkkkkkkkkkkk.

4 comentários:

Adriana Maia disse...

Você não vai acreditar?
até fui olhar meu post de novo para ver se eu tinha colocado algo sobre carro antigo.
Meu marido adora também. Vive me carregando para tudo quanto é encontro que tem por aí...
Pra você ter uma idéia, ele planeja nossas viagens de acordo com os lugares onde haverá algo do gênero.
E você, sem querer, resolveu meu problema do presente.
se lembrar, passa lá no blog dia 26 que vou colocar uma foto do que eu dei pra ele. (não, não é um carro propriamente dito. ainda não cheguei lá...)
um abraço.
http://historiasdeadriana.blogspot.com/

Mari disse...

Q mulher doida, né pai?


Hahaha...pai por favor mantenha os freios sempre em dia!! hehe

beijos
Mariana

Mauricio Morais disse...

Cara, sem preconceito, mas mulher dirigindo um fiat me dão calafrios, ee, he.
vc me fez lembrar de uma história que aconteceu lá em casa. Não me lembro quando o Vectra foi lançado, mas sei que nesta época meu pai comprou um zero, saiu da loja todo feliz dirigindo seu carro novo em diração à nossa casa.
Parou no sinal vermelho e pra sua infelicidade, uma senhora dirigindo um Fiat e falando ao celular encheu a traseira do Vectra zerinho do meu pai.
Cara, a tristeza foi medonha. Imagine um carro com os plásticos no banco, cheirando a novo e com a tampa do porta malas arrebentada pra cima?!
O desgosto foi tanto que meu pai mandou o carro pra oficina, e em pouco tempo se desfez do mesmo.
Comprou uma camionete, acho que D-20, com pneu lameiro, bem grosso.

Francisco J.Pellegrino disse...

Mauricio,esta história aí contada parece simples....depois que nada ocorreu! mas até hj não acredito que não destruímos este Camaro, temi pela mulher na Palio pois ela morreria com certeza, eu acertava o carro dela bem no meio, pois a dita cuja fez uma conversão proibida à esquerda. Creio que cotidianamente acontecem casos como este, mas depois de 5 anos restaurando a preciosidade, eu não teria mais saco para refazê-lo.